desinsetizacao

Quando se fala em pragas pensa-se em baratas, moscas, mosquitos e ratos entre outros. Na verdade, o termo popular pragas refere-se aos animais sinatropicos que são todos os animais multicelulares que em determinados locais ou momentos podem causar algum dano direto ou indireto à saúde humana.



As pragas provocam danos ao homem desde tempos remotos, não só pelo risco à saúde através das doenças transmitida, mas também pelos estragos que causam em alimentos e em diversos objetivos. 

A Origem 

A Origem das pragas é mais antiga do que a civilização humana e sua proliferação decorreu do desequilíbrio ecológico provocado pelo homem.

Esses animais existem há muitos anos e possuem um papel benéfico na natureza. Porém com o advento da urbanização, o homem induziu um desequilíbrio ecológico ao se habitar em espaço anteriormente ocupados pelas espécies nativas.

O acúmulo inadequado de alimentos, o lixo, a ausência de predadores naturais e a falta de higiene das pessoas, resultaram em um descontrole dessas populações, o qual é inexistente em condições naturais.

O risco à saúde, representado pelas doenças transmitidas, e os estragos que causam na estocagem dos alimentos, nas contaminações de embalagens de produtos e de ambientes, transformam esses animais em pragas urbanas.

A história das pragas urbanas tem relação direta com a sofisticação das sociedades humanas.

As regiões que possuem os relatos mais antigos desse problema são a Europa, a Ásia e as Américas, por volta dos séculos XI e XII. Antes disso, já havia registro de camundongos na china e no Egito.

A Solução de desinsetização

Em vista dos problemas em saúde publica decorrentes desses animais, o homem desenvolveu técnicas, como controle químico usado o inseticida organoclorado DDT, daí usualmente o termo dedetização, utilizado com a finalidade de reduzir as populações de insetos em ambiente urbano.

Estes produtos foram proibidos por lei há mais de vinte anos devido à alta toxidade. O termo mais atual é desinsetização, o qual designa produtos que possuem um período de meia vida interior, tornando-os menos agressivos para o homem e o meio ambiente.

Os programas atuais de controle de pragas devem incluir diversos níveis de intervenção, abordagem a qual é designada Controle Integrado de Pragas tendo em consideração critérios ecológicos, econômicos e toxicológicos.

Assim, o CIP de pragas inclui a inspeção dos locais afetados, a identificação e o planejamento das atividades desenvolvidas, a implementação de medidas de controle e, finalmente, a supervisão das medidas implementadas e avaliação dos resultados obtidos.

Objetivo Principal

O controle das pragas urbanas por empresas de dedetização tem como finalidade a proteção da saúde e do bem da população, impedido a partilha dos alimentos, das habitações e dos locais de trabalho e lazer com insetos, roedores e outras espécies de pragas.

Ele é um sistema que inclui medidas preventivas em níveis que não conduzem à ocorrência de problemas significativos.